Serviços   O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Exposições Temporárias

O MAE oferece aos visitantes diversas exposições temporárias. Elas podem ser organizadas pelo próprio MAE ou acolhidas de outras instituições. Possuem temáticas variadas, pois têm como objetivo ampliar o debate sobre diferentes temáticas sociais.

Exposição Mar de Nuvens

“Mar de Nuvens”, do fotógrafo Lucas Pontes  (Foto: Lucas Pontes/Divulgação)

 Trata-se de  uma coleção de fotografias de paisagens da Serra do Mar Paranaense, onde se localizam os maiores picos do sul do Brasil, retratadas em 30 fotografias. As imagens convidam o visitante a conhecer cenários únicos e surpreendentes, onde as nuvens em alguns momentos formam um “mar” entre as cadeias montanhosas.

Elas são parte de uma seleção de imagens do livro “Mar de Nuvens” do fotógrafo Lucas Pontes, lançado em dezembro de 2017.  A publicação conta com textos de especialistas na área de geografia, conservação da natureza e montanhismo além de ilustrações e fotografias do conjunto arquitetônico da Serra do Mar. “O resultado é uma combinação do fotógrafo, que utiliza a técnica e sua sensibilidade de captar imagens, e do geógrafo, que procura entender a gênese e a evolução da paisagem destas cadeias montanhosas”, descreve Leonardo Cordeiro dos Santos, professor de Geomorfologia e Solos da UFPR.

A exposição “Mar de Nuvens” já esteve em cartaz no Memorial de Curitiba e na Biblioteca Pública do Paraná. O trabalho é inspirado na experiência pessoal do fotógrafo e montanhista Lucas Pontes com a serra do mar ao longo de sua vida. O autor deste trabalho é geógrafo, mestre em Paisagem e Análise Ambiental pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Na fotografia seus projetos abordam principalmente as paisagens, a natureza em seus diversos aspectos, o cotidiano e a cultura do homem. Já teve fotos premiadas em concursos nacionais e internacionais. O projeto foi realizado via Programa de Apoio e Incentivo à Cultura/Mecenato Subsidiado da Fundação Cultural de Curitiba.

Exposição “Nhande Mbyá reko – Nosso jeito de ser Mbyá-Guarani” – Sede Histórica do MAE em Paranaguá

A exposição é resultado da colaboração entre cinco comunidades da região litorânea do Paraná – Pindoty (Terra Indígena (TI) Ilha da Cotinga/Paranaguá-PR), Kuaray Guata Porã (TI Cerco Grande-Guaraqueçaba/PR); Guaviraty e Karaguata Poty (TI Sambaqui/Pontal do Paraná-PR), Kuaray Haxa (Morretes-PR) – e o Museu de Arqueologia e Etnologia da UFPR.

O objetivo deste trabalho é trazer ao público aspectos da forma de vida, da arte, da cosmologia e da religiosidade Guarani tomando como ponto de partida o artesanato, buscando mostrar o cotidiano dessas comunidades tradicionais. Isso é mostrado com o contraste entre o artesanato fabricado para a venda aos jurua (não-indígenas) e os objetos tradicionais, voltados para as dinâmicas próprias das comunidades Guarani Mbya, como a religiosidade.

A realização dessa exposição foi possibilitada através do projeto “Mutirão Mais Cultura na UFPR”, financiado via edital pelo Ministério da Cultura (MINC) e do Ministério da Educação (MEC). O projeto desenvolve ações na região do Litoral do Paraná em vários municípios em parceria com associações de moradores de comunidades tradicionais de pescadores, quilombolas, indígenas, carnavalescos e artesãos. A exposição estará em cartaz até 4 de agosto de 2019 e terá entrada franca durante todo o período de exposição.

 

EM BREVE: Entre Conchas: Modos de Vidas nos Sambaquis